Que sou eu *Mauri Zeügo*

Meus caminhos intermináveis trouxeram-me até aqui, meus dias de alegria, tristeza, risos e cara feia. Sou tudo e nada. Feito um gato vadio que de telhado em telhado sempre encontra um cesto quente com um novelo de lã ou linha velha que nos remetem aos dias da infância. Tão saudoso à família sou eu. Nos últimos anos tenho tentado ser mais homem e menos animal, raciocinar sempre ao invés de seguir instintos que provocariam uma guerra. Sou humano enfim, tenho meus anseios e desejos e com esses, posso ser o que eu quiser. Cada pessoa tem seus defeitos e qualidades, porém, são os pequenos detalhes que nos tornam cada vez mais especiais e únicos. Sou Mauri Eurico Santos Zeügo e este é meu mundo. Seja Bem Vindo!

Mauri (14.01.1999)

sexta-feira, 27 de junho de 2014

À Jecy Kelly - Minha Querida Amiga (26/06/2014)


À Jecy Kelly, minha querida amiga,

“E mais um dia o céu surgiu nublado, um quase azul mesclado com as nuvens escuras de um adeus angustiante e regado às luzes fracas de um sol sem cor.”
Quanto às lembranças de um ente mais que querido, terei dela as tardes de sol enquanto crianças, brincando e rindo à toa feito almas infantes que jamais se esquecem de serem felizes.
Minha querida amiga e irmãzinha Jecy Kelly, hoje pregou-nos essa inesperável peça, arrancou de nós as lágrimas que há muito tempo não desciam. A Inestimável amizade que de ti surgia sempre foi o ponto de partida pela qual unia-nos a nós mesmos e aos amigos de infância.
Tantos risos, gargalhadas e piadas nutriam nossas vidas de amor e brilho, que acabamos esquecendo-se de crescer, continuamos nossos caminhos e mesmo assim, nunca deixamos a criança dentro de nós padecer.
Ao falar de ti, amada amiga, sei que todas as suas conquistas, sejam elas materiais ou espirituais são coisas vindas de Deus e por isso, ELE a levou de nós, mostrando-lhe o Paraíso Eterno onde quer que esteja.
Jecy, Jéssica, Kelly, Jeyce, independente de tantos nomes e apelidos carinhosos, o que prevalecia era o seu lindo sorriso tímido e a sua educação e delicadeza para lidar conosco.
Em vida, deixou a dor da saudade, o brilho da nossa amizade, o amor e o choro da mãe querida, as lágrimas dos amigos e familiares, mas também ao longo dos anos em que esteve ao nosso lado, ensinou-nos a viver com simplicidade, força e alegria, independente de qualquer problema. Uma pessoa amada por todos, tão gentil, educada, honesta e guerreira, lutando até os últimos dias para não decepcionar-nos e nem nos deixar sozinhos nessa longa jornada.
Mas, hoje à 01h50 da manhã de 26 de Junho de 2014, foi juntar-se aos anjos de Deus, que perceberam que era a hora de dar-lhe a ti amiga o descanso de paz, o repouso dos justos, daqueles e daquelas que viveram para ajudar e morreram tentando mostrar ao mundo todo que nosso egoísmo e materialismo não nos leva a lugar algum.
A dor da saudade e o pranto de cada dia não nos farão melhores e nem piores que outrem, mas enfim, aprenderemos a amar mais e a respeitar as decisões e opiniões das pessoas, nos fazendo assim, mais humanos e ligados ao nosso Deus e Nosso Senhor.
Querida e amada irmã, Jecy Kelly, aprendi contigo e com suas palavras que nessa vida, devemos ser felizes e simples, mesmo que pra isso, tenhamos que suportar as piores dores.
“Estou sem sono, na verdade fui despertada por Deus para orar e passei para dizer algo. Nunca reclame, existem pessoas piores que você, não culpe ninguém, pois você faz suas escolhas, seja minimalista no que realmente importa, ame sua família, pois eles sempre estarão com você, ame à Deus acima de tudo e cuidado para não cair na besteira de se iludir com o mundo e o que ha nele! Que Deus vos abençoe. Beijos -Deus escreve certo por linhas certas, quem entorta as linhas somos nós. (Jecy Kelly)”
E essas foram as suas sábias palavras Jecy, repetiu isso a mim durante todos esses anos em que estivemos perto um do outro. Saiba amiga, sempre a escolhi como um pequeno anjo da guarda aqui na  Terra, mas agora será meu verdadeiro anjo da guarda que me olhará lá do céu.
Descanse em paz nos campos verdejantes do mais belo paraíso para onde Deus a levou.
Saudades Eternas de seu mais velho amigo – Mauri Zeurgo