Que sou eu *Mauri Zeügo*

Meus caminhos intermináveis trouxeram-me até aqui, meus dias de alegria, tristeza, risos e cara feia. Sou tudo e nada. Feito um gato vadio que de telhado em telhado sempre encontra um cesto quente com um novelo de lã ou linha velha que nos remetem aos dias da infância. Tão saudoso à família sou eu. Nos últimos anos tenho tentado ser mais homem e menos animal, raciocinar sempre ao invés de seguir instintos que provocariam uma guerra. Sou humano enfim, tenho meus anseios e desejos e com esses, posso ser o que eu quiser. Cada pessoa tem seus defeitos e qualidades, porém, são os pequenos detalhes que nos tornam cada vez mais especiais e únicos. Sou Mauri Eurico Santos Zeügo e este é meu mundo. Seja Bem Vindo!

Mauri (14.01.1999)

sábado, 19 de março de 2011

À MariAna Cristina Viana (14/02/2011)


Para aquela que falou sempre com amor e doçura. Sim, a mesma que surgiu do fim do mundo e perdurou por longa data em nossas vidas. Quão bom foi tê-la aqui tão perto e ao mesmo tempo longe. Pois com ela, choramos, sorrimos, gritamos e brigamos juntos. Jamais direi sobre contragosto que um dia, reservei um cantinho todo especial para que ela se instalasse em meu coração. De braços abertos, sempre. Fomos os heróis de nossas próprias histórias e quando eu caia, lá estava ela para me auxiliar em nossa caminhada. Gozamos de uma amizade incrivelmente comprometedora. Mari, Maria, Mariana, Maria Ana ou simplesmente amiga do peito. Sempre leal, forte, determinada e fiel. Seu olhar destina-se sempre num mergulho profundo e infindável de emoções, as mesmas que esculpiram essa mulher que é hoje – Uma eterna guerreira em ascensão, derrotando os fantasmas do passado e seguindo sempre com o brilho e brio únicos que Deus lhe deu. Posso falar com amor e carinho dessa magnífica pessoa, sempre e sempre. Faltaria adjetivos e palavras para defini-la ou descrever esse ser humano maravilhoso com quase 1.80 de altura, cabelos castanhos e olhos cor de mel Ah...seus olhos – Fato. Falar de ti é algo muito bom, pois és especialíssima e única. Tem seus altos e baixos, gordos e magros e sabe discernir a aventura dos dias loucos de tua vida e a seriedade do trabalho. Sempre focada no emprego e atenciosa na família. Torna-se rebelde quando lhe pisam no calo – natural de todo ser humano. Amiga, inimiga, fiel, infiel, romântica, palhaça, amante e amada. Falo e falarei sempre com amor de uma amiga especial que jamais será esquecida. Se eu pudesse, faria uma lista de nomes que viveriam eternamente e jamais seriam guardados naquele velho baú do esquecimento. Com toda certeza um nome estaria lá e esse nome é o teu Querida amiga “Mariana”


Mauri Zeügo

Um comentário:

  1. Mas que bela demonstração de amizade e companheirismo.

    ResponderExcluir