Que sou eu *Mauri Zeügo*

Meus caminhos intermináveis trouxeram-me até aqui, meus dias de alegria, tristeza, risos e cara feia. Sou tudo e nada. Feito um gato vadio que de telhado em telhado sempre encontra um cesto quente com um novelo de lã ou linha velha que nos remetem aos dias da infância. Tão saudoso à família sou eu. Nos últimos anos tenho tentado ser mais homem e menos animal, raciocinar sempre ao invés de seguir instintos que provocariam uma guerra. Sou humano enfim, tenho meus anseios e desejos e com esses, posso ser o que eu quiser. Cada pessoa tem seus defeitos e qualidades, porém, são os pequenos detalhes que nos tornam cada vez mais especiais e únicos. Sou Mauri Eurico Santos Zeügo e este é meu mundo. Seja Bem Vindo!

Mauri (14.01.1999)

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Segundo Enigma

"Sou o elo entre o medo e a coragem. Sou o teto desgastado da chuva mundana. Tenho em mim a dor e a delícia de ser o que sou. Pobre homem não sabe que és tão útil aos prazeres da vida. Sou o pecado em forma de anjo, sou a vida descontinuada através das horas incessantes.
Manhãs, tardes e noites infindáveis denotam o que sou. Meu ser é mera sombra de mim mesmo, ejaculando pelos anais dessa mesma historia que é contada sempre e sempre e jamais tem um rumo ou final plausível.
Minhas várias faces e formas foram criadas através dos anos que sucederam. Já chorei rios de lágrimas, inundei todas as minhas mais puras e insensatas emoções, percorri os mais árduos caminhos até aqui e por fim, estacionei nas minhas esperanças que ainda persistem em durar longos dias.
Sou a voz do coração, numa carta aberta ao mundo, sou o espelho esperançoso com sentimentos tão profundos. Vivo até aqui para poder citar a existência minha e tua também. Minha paixão pelas coisas do mundo me traz sempre a realidade profunda como um eco que acaba jamais.
Sou o Narciso e também o Minotauro, sou o ogro e o feiticeiro, o homem mortal e também o semi-deus, sou tudo e nada e no fim, dá-se a linha última para o bonde que volta jamais. Somos todos iguais, sou eu, você, ele, ela...enfim, partilhamos da mesma incógnita e regorjeamos para o mesmo abismo.
Através das idéias inferidas como fruto da vida, diga-me: Quem sou eu e para onde vou?

(Sou Mauri Zeürgo e esse é o meu mundo - Bem Vindos...)

Nenhum comentário:

Postar um comentário