Que sou eu *Mauri Zeügo*

Meus caminhos intermináveis trouxeram-me até aqui, meus dias de alegria, tristeza, risos e cara feia. Sou tudo e nada. Feito um gato vadio que de telhado em telhado sempre encontra um cesto quente com um novelo de lã ou linha velha que nos remetem aos dias da infância. Tão saudoso à família sou eu. Nos últimos anos tenho tentado ser mais homem e menos animal, raciocinar sempre ao invés de seguir instintos que provocariam uma guerra. Sou humano enfim, tenho meus anseios e desejos e com esses, posso ser o que eu quiser. Cada pessoa tem seus defeitos e qualidades, porém, são os pequenos detalhes que nos tornam cada vez mais especiais e únicos. Sou Mauri Eurico Santos Zeügo e este é meu mundo. Seja Bem Vindo!

Mauri (14.01.1999)

domingo, 1 de janeiro de 2012

Você Nunca Saberá (01 De Janeiro De 2012)


“O que você nunca saberá, jamais o machucará e jamais o enganará.
O que você nunca sentirá serão as coisas do coração, serão os amores vividos,
serão os temores pressentidos e a falsa realidade imposta por você mesmo”
Assim como um vaso à mesa, temos muitas cores,
Assim como as várias flores que o decoram;
Sentidos inferidos, feito a ideologia maluca dos céticos,
Denotam a fragilidade e sensibilidade dos caminhos a seguir;
Sabemos que nesse motim interno de sensações existe a acidez de alguns, a clareza de outros, mas, também a verdade, mesmo que doa – profunda, interna, certeira e arrebatadora sempre.
A dor da verdade é o mesmo, senão com maior teor que a realidade a que temos de encarar. Lembremos que a vida pode e deve ser sentida de forma a conciliar a dor das dificuldades a libido dos prazeres que nos trouxeram até aqui.
O ponto crucial dessa grande cruzada fora bem querido pelos meios a que escolhemos, simplesmente pelo fato da chegada inesperada e das surpresas ao longo do caminho.
O anil azul do céu, o carmim vermelho do pôr-do-sol, o prata cinza das águas que banham as pedras unidas pela liga grudenta das cachoeiras e rios – Simplesmente tudo se torna belo quando existe o sorriso, mesmo que forçado e ou incitado. Precisamos pouco como seres-humanos para sermos felizes, mas, precisamos ainda menos para amargar a realidade e dialogar de frente com a infelicidade e a desgraça de aturar as cores infelizes que não fazem parte do vaso nosso.
O que você nunca saberá estará guardado pra ti,
Estará esperando o seu “eu” eliminar a arrogância tua
E reformular a vida nossa como um todo,
Fazendo-o assim, libertar-se desse mundo enganoso da tormenta causal e ocasionando a liberdade no eterno alçar de asas...rumo a eternidade.

By: Mauri Zeürgo

Nenhum comentário:

Postar um comentário