Que sou eu *Mauri Zeügo*

Meus caminhos intermináveis trouxeram-me até aqui, meus dias de alegria, tristeza, risos e cara feia. Sou tudo e nada. Feito um gato vadio que de telhado em telhado sempre encontra um cesto quente com um novelo de lã ou linha velha que nos remetem aos dias da infância. Tão saudoso à família sou eu. Nos últimos anos tenho tentado ser mais homem e menos animal, raciocinar sempre ao invés de seguir instintos que provocariam uma guerra. Sou humano enfim, tenho meus anseios e desejos e com esses, posso ser o que eu quiser. Cada pessoa tem seus defeitos e qualidades, porém, são os pequenos detalhes que nos tornam cada vez mais especiais e únicos. Sou Mauri Eurico Santos Zeügo e este é meu mundo. Seja Bem Vindo!

Mauri (14.01.1999)

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Esfriando o fogo (14/07/2011)



Sinto-me entre o fogo, mas, tenho frio. Tentando te esquecer,
Não consigo mais carregar nas costas, esses dias estranhos e todo esse peso.
Tenho tudo em minhas veias e eu não consigo entender;
Cansado do esquecimento, o tempo mata as minhas memórias,
Com esse fogo que é tão frio e cruel – Emocionalmente envolve-me
E tão repentinamente dissolve-me numa matéria solúvel e inexistente.
Estou hoje, tentando conter o medo do coração,
Ainda sob a pena do dia de pagar as dívidas e as promessas;

Sinto o fogo farto e que não esquenta nunca, mas sei – Ele está ali,
Magnânimo ao impossível, fiel aos infiéis e mais doce como nunca!
Porém, ele envenena e mata – machuca – ferindo a fundo.
“Dou amor a quem quiser, mas saiba das conseqüências.”
Seja eloqüente e aceite somente aquilo que conhece,
Jamais dê asas ao desconhecido ou abra seus braços ao
Grande monstro devorador de sonhos – ele engana sempre.

Chegando com suas palavras idealizadas e olhos desejosos
Dá-nos os braços como auto-ajuda e some depois.
Cansados, nós não conseguimos segurar a vida nas mãos,
Sentimos os lábios ressequidos de um beijo que nunca sacia a gente,
Banimos então, a grande causa do amor, o falso amor que nos engana.

À procura de um porto ou estação, meu corpo vira pedra, quando
Consigo então enxergar a maldade insana e a mente traiçoeira daquele
Que sabe apenas causar dor e desgraça – O homem amargo que reside
Em suas próprias idéias malucas e também nos transcritos filosóficos.
O seu grande e mais importante erro é: Se achar um deus ou simplesmente, imaginar que poderia ganhar um alguém difícil e totalmente diferente, somente com palavras e com a matéria
– Dever-se-á crescer muito e nascer novamente para aprender a lidar com uma verdadeira divindade e ou com a face de um único Deus soberano.
Nesse momento, seu coração deverá parar, será jogado feito traça mundana nos dias de sonhos alheios e enfim, a esperança de você ser um alguém decente, chegará.
Terá longos beijos verdadeiros, sonhos confabulados serão reais, o medo desaparecerá e a frase que sempre ouvirá clamando por ti ressoará por longos anos – Eu não posso viver com você.

Mauri Zeürgo


3 comentários:

  1. Conhecendo o pouco sobre você, já até imagino que tenha lidado com mais um putão da vida.
    Mauri, você é mais que isso, muito mais que isso..!
    Nunca deixe os "tais" fulanos, beltranos e cicranos o enganarem com um abraço traiçoeiro. Você sabe que estou sempre aqui por você. Beijo - Rick

    ResponderExcluir
  2. Insano...quero ir ao inferno, pois que o diabo anda frio...

    Tem conhecido alguns putões da vida? Está no plural. Pensei ter sido o primeiro...

    ResponderExcluir
  3. *Dois dias que não te vejo...dois dias q não voltam mais, que nunca serão resgatados...o tempo destrói o desejo da paixão. Tem pessoas negam e negligenciam o que encontram...são falas tolas jogadas ao vento, quando o que vale é o toque, o abraço o beijo na testa.
    Todo resto é balela.
    Sinto pena de mim, que nas desenfreadas buscas dos desejos do corpo se encontra com o desejo da alma, e pensando ter encontrado sua alma perdida, descobri que está mais perdido que antes, assim me sinto, assim me encontro, casado com alguém que descobri não ser alguém, era apenas um fantasma que apareceu diante de mim, seu arquétio está em minha ezquizofrenia...amei-o tanto, desejei-o tanto, toquei-o tanto, e entanto, me vejo na solidão das palavras mais uma vez chorando em prantos...
    Sinto pena de mim, que nas desenfreadas buscas dos desejos do corpo se encontra com o desejo da alma, e pensando ter encontrado sua alma perdida, descobri que está mais perdido ainda, assim me sinto, assim me encontro, casado com alguém que descobri não ser alguém, era apenas um fantasma que apareceu diante de mim, seu está em minha ezquizofrenia...amei-o tanto, desejei-o tanto, toquei-o tanto, e entanto, me vejo na solidão das palavras mais uma vez chorando em prantos...

    Desejei-o por inteiro, no entanto, nao sou completo, minha incompletude me faz perder tudo aquilo que pensei ter preenchido o mosaíco da minnha existência.
    Te amei no ontem, te desejo no hoje e sonho contigo no amanhã....meu Ícaro insano...
    Assim sou Sísifo cumprindo minha sina, minha imposiçao, não me bastasse tudo, minha pedra agora pesa mais ainda, pois nela tem o nome de Zeurgo.
    Queria muito abraçar, e juntos sermos levados aos olhos de Morpheu, e quando a Deusa Aurora assim chegar, poder olhar e dizer: Graças aos ímpios, sujos e puros, sou agora nova alma nascido da noite dormida ao lado de Teseu, cujo nome se modificou e agora se chama Zeurgo.
    Mas continuo meu destino, mesmo sendo determinista. O que antes era doce agora se torna amargo aos lábios meus...

    ResponderExcluir