Que sou eu *Mauri Zeügo*

Meus caminhos intermináveis trouxeram-me até aqui, meus dias de alegria, tristeza, risos e cara feia. Sou tudo e nada. Feito um gato vadio que de telhado em telhado sempre encontra um cesto quente com um novelo de lã ou linha velha que nos remetem aos dias da infância. Tão saudoso à família sou eu. Nos últimos anos tenho tentado ser mais homem e menos animal, raciocinar sempre ao invés de seguir instintos que provocariam uma guerra. Sou humano enfim, tenho meus anseios e desejos e com esses, posso ser o que eu quiser. Cada pessoa tem seus defeitos e qualidades, porém, são os pequenos detalhes que nos tornam cada vez mais especiais e únicos. Sou Mauri Eurico Santos Zeügo e este é meu mundo. Seja Bem Vindo!

Mauri (14.01.1999)

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Apelo de um apaixonado (14/11/03)

É duro amar alguém e não ser correspondido, mesmo sabendo que este também quer ter você em seus braços pra dizer que o ama. O mais difícil dessa historia é a distância entre gênios e classes.
Isso ou aquilo não é mais importante ou forte o bastante para que ocorra a separação dos apaixonados. Na vida urbana em que vivemos, existe a lei do mais forte. Ficar sem opção é um jeito de me calar, mas ainda tenho uma chance de dizer que amo alguém quantas vezes for necessário. Às vezes estar só deixa-me mais forte e consigo encontrar mus sentidos.
Confesso, jamais fui muito bom em assuntos do coração, mas algo não posso negar – estou amando e não quero esperar ficar loucamente apaixonado para tomar coragem e dizer a alguém que o amo muito. Não conseguirei viver sem a sua presença.

Mauri Zeügo

Nenhum comentário:

Postar um comentário