Que sou eu *Mauri Zeügo*

Meus caminhos intermináveis trouxeram-me até aqui, meus dias de alegria, tristeza, risos e cara feia. Sou tudo e nada. Feito um gato vadio que de telhado em telhado sempre encontra um cesto quente com um novelo de lã ou linha velha que nos remetem aos dias da infância. Tão saudoso à família sou eu. Nos últimos anos tenho tentado ser mais homem e menos animal, raciocinar sempre ao invés de seguir instintos que provocariam uma guerra. Sou humano enfim, tenho meus anseios e desejos e com esses, posso ser o que eu quiser. Cada pessoa tem seus defeitos e qualidades, porém, são os pequenos detalhes que nos tornam cada vez mais especiais e únicos. Sou Mauri Eurico Santos Zeügo e este é meu mundo. Seja Bem Vindo!

Mauri (14.01.1999)

sábado, 18 de dezembro de 2010

Incidência (14/08/07)

A beleza interna
Veio coincidir com palavras
Da pura inteligência alheia,
Vagueando por terras de mau olhado;

Um contra-gosto manifestado
Por um grande esplim.
Tomam-nos como espoliadores
De um tesouro que jamais
Sentiu nosso toque supérfluo;

Após esse travasso imundo
Somos tidos como vitimas,
Mas não querem nos libertar,
Apenas em respeito aos muitos
Que desconhecem clara incidência.

Mauri Zeügo

Nenhum comentário:

Postar um comentário