Que sou eu *Mauri Zeügo*

Meus caminhos intermináveis trouxeram-me até aqui, meus dias de alegria, tristeza, risos e cara feia. Sou tudo e nada. Feito um gato vadio que de telhado em telhado sempre encontra um cesto quente com um novelo de lã ou linha velha que nos remetem aos dias da infância. Tão saudoso à família sou eu. Nos últimos anos tenho tentado ser mais homem e menos animal, raciocinar sempre ao invés de seguir instintos que provocariam uma guerra. Sou humano enfim, tenho meus anseios e desejos e com esses, posso ser o que eu quiser. Cada pessoa tem seus defeitos e qualidades, porém, são os pequenos detalhes que nos tornam cada vez mais especiais e únicos. Sou Mauri Eurico Santos Zeügo e este é meu mundo. Seja Bem Vindo!

Mauri (14.01.1999)

sábado, 18 de dezembro de 2010

Essência (14/05/05)

Muitos perderam a essência.
Poucos possuem a réstia de tal,
O mundo mudou por inteiro
E com isso veio a ingratidão;

Perderam o brilho infante,
O calor e a pureza da alma.
Nada restou de bom em nós,
Nem vestígios dos homens de Deus;

Os sete pecados recriam
Dons humanos em versões baixas,
Diminutas e reformuladas
Para acabar com a pureza do ser;

A verdadeira essência não está
Na traição, falsidade, nem na arte
De manipulação que persiste na terra;

Ela está no olhar,
Nos pequenos prazeres,
No modo de viver livre
De cada um e nós.

Mauri Zeügo

Nenhum comentário:

Postar um comentário