Que sou eu *Mauri Zeügo*

Meus caminhos intermináveis trouxeram-me até aqui, meus dias de alegria, tristeza, risos e cara feia. Sou tudo e nada. Feito um gato vadio que de telhado em telhado sempre encontra um cesto quente com um novelo de lã ou linha velha que nos remetem aos dias da infância. Tão saudoso à família sou eu. Nos últimos anos tenho tentado ser mais homem e menos animal, raciocinar sempre ao invés de seguir instintos que provocariam uma guerra. Sou humano enfim, tenho meus anseios e desejos e com esses, posso ser o que eu quiser. Cada pessoa tem seus defeitos e qualidades, porém, são os pequenos detalhes que nos tornam cada vez mais especiais e únicos. Sou Mauri Eurico Santos Zeügo e este é meu mundo. Seja Bem Vindo!

Mauri (14.01.1999)

sábado, 18 de dezembro de 2010

Desfrute (14/10/04)



Fico em meu quarto a te esperar,
Aqui a solidão é tão fria
Que a cada noite que chega,
Logo clamo pelo amanhecer;

Durante o dia a dor se intensifica.
O sol não arde, mas peca
Ao mostrar através de seu brilho
Belezas que já não desfruto mais;

Meus valores ficaram pra traz.
De tanto te esperar perdi muito.
Sem teu cheiro e cor, esqueci o mais valioso,
Nunca tive você e tu nem eu;

Jamais canso de procurar.
Ainda te espero sempre aqui,
Quero sentir seu toque em mim
E tua epiderme saberá da minha existência;

Se vivi até aqui, sempre soubemos de tudo.
Um plano pra dois foi traçado,
Ele quer que nós dois nos encontremos
Para enfim podermos desfrutar um do outro.


Mauri Zeügo

Nenhum comentário:

Postar um comentário