Que sou eu *Mauri Zeügo*

Meus caminhos intermináveis trouxeram-me até aqui, meus dias de alegria, tristeza, risos e cara feia. Sou tudo e nada. Feito um gato vadio que de telhado em telhado sempre encontra um cesto quente com um novelo de lã ou linha velha que nos remetem aos dias da infância. Tão saudoso à família sou eu. Nos últimos anos tenho tentado ser mais homem e menos animal, raciocinar sempre ao invés de seguir instintos que provocariam uma guerra. Sou humano enfim, tenho meus anseios e desejos e com esses, posso ser o que eu quiser. Cada pessoa tem seus defeitos e qualidades, porém, são os pequenos detalhes que nos tornam cada vez mais especiais e únicos. Sou Mauri Eurico Santos Zeügo e este é meu mundo. Seja Bem Vindo!

Mauri (14.01.1999)

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Tente saber (14/01/04)


Entra-se por essa porta
Sabes o que te espera.
Um saber desconhecido
Nessa incógnita infindável;

Somente aquele que viaja
Pelos caminhos da mente
Será capaz de reconhecer
E compreender as razões do ser.

Caminhe pelas nuvens,
Estenda as mãos e alcance
A chave da auto-compreensão.
Pois hoje você pode tudo;

Recuar agora de nada vale.
Esqueça dos sentimentos
E alce seu maior vôo
Para responder a tudo;
- Eu sou o olho!

Sou eu o elo entre
A vida a e a morte,
Sou o fragmento entre
O corpo e a alma,
Sou tudo e nada;

Dou-lhe agora o que tanto espera.
Tuas respostas são a abertura
Do novo e o fechamento do velho.
Tome! Receba o que tenho a oferecer.

- O reconhecimento vago,
A inutilidade humana,
A falsa esperança
E a certeza de que tentou até aqui,
 E sonhou por um minuto que
Poderia me desvendar.

Mauri Zeügo

Nenhum comentário:

Postar um comentário